fbpx

Casa adaptada para idosos: 9 dicas para garantir segurança e conforto

Com o avanço da idade, algumas limitações começam a aparecer, gerando a necessidade de cuidados especiais. Nesse momento, é preciso adotar estratégias para garantir a segurança e bem-estar de quem se encontra nesse tipo de situação e, para isso, ter uma casa adaptada para idosos é fundamental.

A casa precisa ser um lugar confortável, acessível, seguro e que seja capaz de prevenir acidentes, muitas vezes provocados pela falta de possibilidade de locomoção e equilíbrio, e propiciar mais autonomia, permitindo a melhor adaptação à rotina possível.

Quer entender a importância de fazer a adaptação da casa para o idoso e como ela pode ser realizada? Então, continue sua leitura!

Qual a importância de ter uma casa adaptada para idosos?

Todo esse zelo pelos idosos é uma preocupação que deve ser diária, já que entre os acidentes mais graves que ocorrem com pessoas da terceira idade, estão os domésticos. Isso leva à necessidade de adaptação de todos os ambientes para que seja fornecido o máximo de suporte e independência.

Na hora de fazer o planejamento da casa adaptada, é importante ter o auxílio de um profissional qualificado, como o arquiteto, para que tudo seja feito conforme as necessidades reais da pessoa interessada, tendo em vista que cada situação exige medidas específicas de acordo com o modo de vida da pessoa idosa.

Além disso, precisa também atender aos requisitos regulamentados pela norma de acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos (NBR 9050).

Quais sãos os principais riscos que o idoso pode ter em casa?

Problemas de locomoção, redução da visão e audição, falta de equilíbrio, hipertensão, doença de Alzheimer, efeitos colaterais de medicações, entre outros, são os principais causadores de acidentes, como quedas, fraturas, cortes, isolamento do indivíduo etc.

A adaptação da casa para idosos como forma de prevenção é fundamental para reduzir esses riscos e os gastos com médicos e hospitais, melhorando a qualidade de vida da pessoa na terceira idade e de quem convive com ela.

Quais adaptações podem ser realizadas?

Existem diversas adaptações que podem ser feitas para reduzir os riscos de acidentes e disponibilizar mais segurança ao idoso. Veja algumas delas a seguir.

1. Banheiro

O chão do banheiro é um dos grandes causadores de quedas. Nesse caso, você pode optar pelo piso antiderrapante e tapete de borracha que gruda no chão. Além disso, é possível fixar barras de apoio nas paredes, para impedir tombos caso ocorra falta de equilíbrio.

No Chuveiro, pode ser interessante colocar uma cadeira de plástico ou banco adaptado na parede, ​caso haja a necessidade de tomar banho sentado. Uma dica é evitar o box de vidro, que pode ser substituído por cortinas de plástico ou outros produtos não cortantes, e lembrar-se de deixar a porta maior que o tamanho padrão para passagem da cadeira higiênica, quando necessário.

Barras de apoio devem ser instaladas nas paredes e laterais para facilitar a locomoção, tanto no momento do banho, quando ao utilizar o vaso sanitário.

Além disso, você pode encontrar no mercado (lojas de itens ortopédicos), assentos sanitários removíveis e elevados ( para quem não quer trocar o vaso).

2. Quarto

A cama deve ter uma altura média, onde os pés apoiem totalmente no chão quando a pessoa estiver sentada. Para auxiliar a calçar sapatos e se levantar, uma poltrona do lado também é bem-vinda. É importante que o interruptor fique do lado da cama, para que o idoso consiga controlar a luz mesmo quando estiver deitado.

3. Cozinha

Os armários não podem ser muito altos (ao alcance dos braços) e os utensílios mais usados devem estar nos lugares mais fáceis e ao alcance do idoso, evitando que ele tenha que se abaixar ou subir em escadas para pegar os objetos. O chão antiderrapante e as barras de apoio na cozinha também são uma boa ideia.

As bancadas e pias precisam ter uma altura que permita o manuseio da comida e que a pessoa consiga lavar a louça sentada.

4. Sala

Evite os tapetes e mesas de centro na sala e procure ter um sofá confortável, com almofadas para acomodar as costas. Os controles remotos precisam ficar em um local reservado ao alcance de quem está sentado e a estante com a TV deve ser fixada ao chão. Uma outra dica é evitar os enfeites que possam quebrar, provocar acidentes e machucar alguém.

5. Sala de jantar

A mesa precisa ter o tamanho conforme a altura da pessoa idosa e com pontas arredondadas. No momento das refeições deixe tudo perto e ao alcance do idoso, se possível não fique entregando tudo ao mesmo, para que ele possa ter o máximo de autonomia e independência.

6. Escadas

Sinalize a ponta do degrau para auxiliar os idosos que não enxergam bem. O corrimão dever ser firme e estar presentes nos dois lados, iniciando antes da escada e finalizando um pouco depois. A altura entre os degraus não deve variar e não podem ser muito altos.

7. Corredor

É importante dar toda atenção aos corredores, colocando barras de segurança, principalmente naqueles onde há maior circulação do idoso. O caminho deve estar livre e ser bem iluminado para evitar quedas. O ideal é sempre deixar uma luz acesa ou utilizar os sensores de presença.

É preciso ter um cuidado ainda maior com as pessoas que utilizam bengala. Conforme a NBR 9050, quem se enquadra nesse caso precisa de 75 centímetros livre para circular, enquanto quem usa andador ou cadeira de rodas precisará de 90 centímetros.

8. Cores

O ideal é que as paredes sejam de cor clara, já que refletem melhor a luz. Os detalhes podem ser feitos com cores mais fortes, pois podem estimular os sentidos do idoso e tornar o dia a dia mais dinâmico.

9. Móveis

Evite que o idoso tenha que esticar muito para alcançar os objetos. Já as gavetas devem ter travas de segurança para que não caiam quando abertas e os armários com portas de correr são melhores, já que não vão interferir na área de circulação.

Conseguiu entender a importância de ter uma casa adaptada para idosos? Com essas dicas simples é possível ter um local mais seguro e acessível, propiciando ao idoso muito mais confiança e autonomia, assegurando que ele consiga ter uma rotina o mais normal possível e viva melhor. Para isso, contar com o auxílio de um profissional é essencial, já que ele vai poder analisar cada caso e definir as melhores estratégias para o ambiente disponível.

Quer saber como melhorar a qualidade da assistência prestada ao idoso ou demais pessoas vulneráveis em seu lar? Entre em contato com a gente e veja como podemos ajudar!



× Como podemos te ajudar?